A importância de se arrepender da agressividade nos pensamentos

 

Quem se trata com respeito e serenidade vive melhor.

 

 
A maior fonte de maldade no Planeta são os pensamentos e sentimentos agressivos. São eles as grandes fontes de vibrações negativas em uma sociedade.

 

Mais

Cinco motivos para você aprender a parar seus pensamentos

 

Aprenda a parar seus pensamentos para sair do stress e da ansiedade

 

 

1) Viva descansado

 

O cérebro possui apenas 2% da massa corporal. Mesmo assim consome mais de 20% da energia diária que uma pessoa dispende.
 

O cérebro gera reações em todas as partes do corpo. Basta lembrar as vezes que você ficou triste e chorou. Ou das vezes que, ao rir, mexeu seus braços  e mudou suas expressões faciais. Ou o quanto sua mente e seu corpo ficaram tensos frente a uma situação de risco. Tudo significa dispêndio de energia.
 

Mas, o que realmente cansa as pessoas é que os pensamentos, quando desencadeados em sequência (1), geram muito stress. Mais

O paradigma da montanha russa explica o porquê da sua pouca satisfação com a vida

 

montanha russa

 

Todos os anos dezenas de milhões de pessoas buscam prazer brincando na “montanha russa”.

Quanto mais radical, mais emoção. Como se dá esta emoção?

A pessoa entra na montanha russa e tem medo.

O medo provoca uma descarga de adrenalina que produz vários sintomas físicos e mentais.

Entre os sintomas mentais estão (preste atenção, porque voltaremos a eles no final do texto):

Focalização da mente (ela fica com a atenção totalmente focada na situação) Mais

Estimulando a Felicidade

 

Sintonize sua felicidade. Estimule-a e viva melhor.

 

 

Regis Mesquita

 

 

Felicidade não é um sentimento. Os sentimentos podem estar presentes na felicidade,  principalmente a alegria. Nela cabem até sentimentos como o medo e a tristeza.  Porque a felicidade é um “estado de espírito”. Um “estado de espírito” é  uma vivência interna que se mantém no tempo e pode persistir mesmo que existam oscilações momentâneas.

 

Traduzindo: a felicidade se mantém mesmo que a uma pessoa esteja sob a mira de um revolver. Naquele momento ela terá medo, angústia e insegurança. Tão logo passe a situação traumática, o que se impõe em sua mente é o estado de espírito da felicidade.

 

Esta característica da felicidade existe porque a mente humana consegue produzir sentimentos, sensações e percepções que permanecem e independem da realidade externa.

 

Para simplificar a explicação peço que você leia os escritos da figura inicial deste artigo.

 

A pessoa diz: “eu quero felicidade”. Eu é o ego. Quero é desejo. Felicidade é um estado mental.

 

A felicidade é um estado que sempre existe dentro das pessoas. Em algumas pessoas é grande e em outras, pequeno. Ela pode ser cultivada e estimulada. Mas, que fique claro, é um estado da mente que já existe dentro da pessoa. Por isto, algumas pessoas dizem que você tem que se sintonizar com a felicidade.

 

O ego pode ajudar a criar condições que facilitem este sintonizar. Através da razão, da lógica, da organização, do planejamento, o ego pode criar condições de vida eficientes que favoreçam a percepção dos conteúdos internos da mente. É “dentro” da mente que são produzidos a felicidade e outros estados mentais. Um exemplo da importância do ego: imagine um agricultor que semeia a terra fora da época correta. Talvez passe fome e desenvolva culpa por ver os filhos sofrendo. Tudo isto conturbará sua mente, dificultando a percepção da sua realidade interna mais básica.

 

O menino que não sabe ser feliz (desejos criando sofrimentos)

Pessoas que sofrem por causa da mente reativa

Eu estava no paraíso e não sabia

 

Apesar da felicidade ser um estado interno, é mais fácil de ser estimulada e sintonizada quando existem melhores condições. O ego, portanto, pode ser facilitador desta conquista. Ou pode ser um dificultador. O ego passa a atrapalhar quando se torna tão dominante que as pessoas têm pouco contato com os conteúdos internos que brotam da mente. Neste caso, a vida fica tremendamente limitada e sem rumo. Boa parte do rumo que o ser humano deve dar à sua vida está presente na sua mente, pois foi planejado e organizado no plano espiritual. Este planejamento aparece sob a forma de sensações, interesses, vocações, intuições, sentimentos e outros,  que brotam do “fundo da alma”. Não precisam ser estimulados, brotam “sem muito porque e nem motivo” (na realidade há o porquê e o motivo, mas a pessoa o ignora). Observação: se você estimular estes conteúdos e estados mentais, eles ficam mais presentes e firmes.

 

Resumindo: o ego tem um importante papel, que é ajudar a ter vida eficiente, organizada e planejada.

 

A função do ego é prática. Ele permite, por exemplo, que a pessoa aprenda matemática muito bem. Ao estudar matemática, a pessoa abre mão de estudar história grega (por exemplo). O ego é um redutor. Para funcionar, ele precisa reduzir. Para reduzir ele gera tensão e exclusão. Pessoas muito ligadas ao ego são pessoas que tendem a ter muito stress e muita tensão. Isto é o oposto da felicidade que é expansão, desapego e fluidez. Um dos segredos para manter a sintonia com a felicidade é tirar a dominância do ego (ele deve ser forte para cumprir seu papel e humilde para se submeter à mente total).

 

Pode-se aprender e treinar o ego para deixar de ser dominante. Pode-se superar os traumas, as dúvidas e as inseguranças que ajudam a tornar o ego dominante. Há muito que fazer para “colocar o ego em seu devido lugar”.

 

Na figura existe uma segunda complicação: o desejo – “eu quero”.  Para que serve o desejo? O desejo é uma projeção no futuro, uma motivação para a ação. É uma grande conquista humana, quando usado com muita precaução. Um adolescente pode dizer: quero ser advogado. Com este desejo, ele orientará suas ações para atingir este objetivo. O problema começa quando as pessoas tornam-se máquinas que não param de desejar. Isto conturba a mente e dificulta a percepção da realidade interna. Também cria problemas, gera perda de energia, angústia, complicações, desavenças, etc. Outro problema é que o desejo constante desfoca a pessoa do presente. Torna mais difícil dar intensidade à vida e praticamente impossibilita o usufruto do que existe e do que se é. Estas condições, que o desejo constante atrapalha, são grandes facilitadoras da sintonização com a felicidade.

 

Resumindo: o desejo deve ser pouco, eventual e bem direcionado.

 

Na figura, após colocar o ego no seu lugar e se desligar do desejo, sobra a felicidade. Na realidade, este é o começo do desenvolvimento pessoal para conquistar uma mente clara que permita manter a felicidade mesmo em situações negativas.

 

Entrar no estado de espírito de felicidade não depende de fatores externos, apesar de ser muito melhor se os fatores externos forem melhores. Observe esta situação vivida por muitas pessoas: se uma pessoa ama outra e não é correspondida, ela pode não sofrer ou sofrer menos se desenvolveu a serenidade e o desapego. Conquistar estas qualidades é muito mais fácil quando se está longe da dominância do ego e não há desejos múltiplos conturbando a mente. A felicidade é, portanto, uma “plataforma” em cima da qual qualidades nobres podem ser desenvolvidas com mais facilidade. Todos nascem para evoluir.

 

A evolução pode ser algo simples, como o fluir de um rio em uma planície. Ou um ato muito complexo, como um rio cheio de corredeiras e perigos (sofrimentos). Quem está excessivamente apegado ao ego terá que sofrer para desenvolver as qualidades mais nobres da vida (o sofrimento serve para quebrar momentaneamente a dominância do ego). O ego é fundamental na conquista de algumas habilidades como, por exemplo, a disciplina. Por outro lado, ele é péssimo para gerar desapego ou benevolência. Qualidades mais nobres são melhor desenvolvidas quando são usados outros recursos da mente que vão além do ego. O sofrimento, ao quebrar as barreiras do ego, facilita a emersão (temporária) de conteúdos internos sutis e nobres que a mente produz constantemente.

 

A felicidade, e não só a felicidade, é produzida dentro da nossa mente. Podemos desenvolvê-la, podemos estimulá-la, podemos aprender a sintonizar com ela. Tirar a dominância do ego e desestimular os desejos são dois recursos muito importantes para atingir este estado de espírito. Além destes recursos existem outros. Aqui no blog Caminho Nobre você encontra dezenas de dicas e técnicas para estimular sua mente.

 

A vida de cada um pode ser mais bela, saudável e evoluída quando sintonizada com o estado de espírito chamado felicidade. Viver é uma arte, viver com sensibilidade para o que emana do nosso interior é mais importante ainda. Grande parte das pessoas desenvolve sensibilidade para o que é negativo. Enquanto isto, as experiências mais nobres ficam isoladas e desvitalizadas em algum canto da mente.

 

Por fim, quem tem depressão sabe muito bem que a mente produz estados mentais “sem motivo” externo. Ela também produz felicidade e outros tantos estados mentais.

 

 

Ajude o Blog Caminho Nobre recomendando esta postagem no G+, curtindo no Facebook, retuitando ou mandando o link deste texto por email.

 

 

Leia também:

 

O Ego precisa de certezas

Viva simples, mas viva Intensamente

O cego que enxergava

A dificuldade de dizer “Eu te amo”

Para a consciência seguir a lógica do espírito é preciso treinamento

Evolução é caminhar do complexo para o simples e do difícil para o fácil

Aprendendo a viver a vida – o homem que descobriu seu caminho para a vida plena

A felicidade é conseqüência do poder interno e não do sucesso externo

 

 

Agradeço às pessoas que acompanham o blog Caminho Nobre, seja recebendo as mensagens via email, sendo seguidoras ou visitando-o de vez em quando. De “boca em boca” os números estão aumentando. Sua participação na divulgação do blog é fundamental. Obrigado!

 

 

 Você merece saber que pode mudar e acabar com seu sofrimento.

 

 

 

 

A felicidade do homem de mente clara (mente neutra) e o infeliz de mente reativa

 

Nem o pior dos teus inimigos pode causar-lhe tantos danos quanto você mesmo. Buda

 

 

Uma história real:

 

Estava o homem de mente clara (HMC) com seu carro pela rua da cidade. Na sua frente seguia o homem de mente reativa (HR). Os dois sequer podiam imaginar que no cruzamento seguinte seus carros quase trombariam. O HR entrou à direita, mas desistiu e bruscamente virou a direção para voltar para a avenida de onde vinha. O indeciso HR quase trombou no carro do HMC.

 

Mais

Mutualismo e humildade: 100 trilhões de bactérias vivendo no nosso corpo

 

Colaboração é a base da vida. Saiba porque.

 

 
Por Regis Mesquita

 

O jornal norte-americano The New York Times publicou a seguinte notícia:

 

“Durante anos as bactérias foram vistas como vilãs e tidas como responsáveis por infecções e doenças. Ou seja, algo que se deveria evitar a todo custo.

 

Mas agora, sob o olhar mais detalhado de pesquisadores, bactérias ganharam um papel de destaque que vai muito além da saúde e da doença. Os 100 trilhões de bactérias benignas que habitam o corpo humano desempenham um papel vital na vida das pessoas.

 

Mais

Para a consciência seguir a lógica do espírito é preciso treinamento

 

Teu progresso espiritual te trará bem estar

 

 

Por Regis Mesquita

 

O ego tem uma lógica, o espírito tem outra. A maior parte das pessoas tem dificuldade de entender a lógica do espírito porque usa a lógica do ego nesta avaliação, o que é inadequado.

 

Frases de Jesus, como dar a outra face caso seja vítima de violência (veja aqui), parecem coisa de masoquista, se forem avaliadas pela lógica do ego. Mas, a lógica do espírito sabe que é de grande sabedoria e somente os que se fortalecerem conseguirão colocá-la em prática.

 

A diferença começa com o fato do ego sempre precisar se sentir no controle. Esta necessidade é tão forte, que costumeiramente (para ter a sensação de controle) o ego prefere se iludir, se enganar, criar falsas crenças.

 

Mais

Mente clara, a mente que abraça o amor

 

 Você só sentiu minha falta quando me perdeu. Você desperdiçou o amor e abraçou a dor.

 

 
“No dia em que sorri para você sua mente voava e você não percebeu.

 

No momento em que mostrei meu interesse sua mente vagava e você não entendeu.

 

Quando tentei te dar carinho sua mente estava longe e você não sentiu.

 

Só quando parti, a dor fez sua mente prestar atenção.

 

Só quando me fui, a tristeza fez sua mente focar em mim.

 

Só quando estava longe, sua mente pediu para suas mãos me acariciarem.

 

Só quando estava ausente, sua mente estava presente.

 

Você desperdiçou o amor e abraçou a dor”.

 

 

Autor: Regis Mesquita

Mais

Entradas Mais Antigas Anteriores

%d blogueiros gostam disto: