Viver sem ciúmes. Vou ser quem ama e oferece uma vida feliz e legal.

 

Mesmo que eu sofra com o ciúmes, a pessoa que eu amo receberá carinho, amor e respeito.

 

 

O que é o ciúme?

 

O ciúme é o sofrimento frente à uma ameaça de perda. Perder a pessoa que ama, um amigo, um emprego. O ciumento vive antecipadamente a dor de ser trocado, desprezado ou humilhado. Todavia, a maior fonte de sofrimento vem da insegurança e da baixa autoestima. A pessoa ciumenta acredita que terá um futuro ruim, pois perderá o ser amado e ficará eternamente sofrendo esta perda. Ou seja, ela não reconhece em si nem a capacidade de manter um vínculo sadio e nem a capacidade de reconstruir a sua vida com outra pessoa.

 

 

O ciúme NÃO é sinal de amor

 

Mais

Pablo Neruda, o poeta, explica os dois caminhos da vida e do amor

 

Mesmo nos momentos de grandes sofrimentos cuide-se com carinho e preserve as boas lembranças.

 

Por Regis Mesquita

 

Boas lembranças devem ser preservadas! Jamais mate suas boas memórias!

 

Pablo Neruda, poeta chileno, prêmio Nobel de Literatura, usou sua escrita como arma para a conscientização das pessoas.

 

Entre os seus milhares de versos está este:

 

“É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar, esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se desencontraram”.

 

Mais

Vergonha – como superar este sentimento quase inútil no adulto? (o Fator Mínimo)

O sábio se fortalece através das feridas que surgem em sua alma. Ele tem força interior porque não fugiu da luta e nem se iludiu. Regis Mesquita

 

 

A vergonha é muito importante para a formação da personalidade da criança

 

A vergonha é muito importante na infância, ela é fundamental para o amadurecimento da personalidade.

Este sentimento obriga a criança a direcionar sua atenção para o meio social, pois nesta idade é importantíssimo aprender e se adaptar às regras sociais.

 

Vergonha, inicialmente, é vergonha dos outros, do que os outros vão pensar ou falar. Vergonha do julgamento dos outros.

  • É uma relação entre o eu e os outros.

Quando os valores sociais já estão aprendidos e “dentro” da pessoa (introjetados), a vergonha também será de si mesmo.

Portanto, a vergonha serve, na infância, para estimular a adaptação aos valores sociais.

 

Mais

%d blogueiros gostam disto: