Gerando boas vibrações para dinamizar a vida

 

Você possui grandes recursos no seu interior. Confie em você.

 

 

Por Regis Mesquita

 

Um dos preceitos mais importantes da Educação do Espírito é que todas as pessoas devem facilitar a comunicação entre o inconsciente e a consciência, entre o espírito e a consciência e entre a espiritualidade e a consciência.

 

A consciência recebe informações cotidianas e reage a elas. O sinal de trânsito, por exemplo, fecha e ela manda o corpo parar o carro. Ao receber a informação de que o sinal ficou verde, ela acelera o carro e segue em frente. Ou seja, a consciência usa estas informações para tomar decisões relevantes para a sua vida.

 

Existem algumas informações que a consciência normalmente despreza. São informações e estímulos muito importantes. São estímulos que têm origem no próprio espírito (ele é ativo e interage com o corpo e com a mente), na espiritualidade e naquilo que está guardado no inconsciente.

 

As informações mais nobres e importantes para sua vida são sutis, “surgem” de dentro de você ou estão presentes nas vibrações do ambiente. Você está preparado para escutar, perceber e valorizar estas informações? (Dica: desenvolva esta habilidade com os ensinamentos do livro A Espiritualidade no Dia a Dia: clique aqui)

 

Importante: a consciência deve estar aberta para perceber as informações, vibrações e outros estímulos que tem sua origem no plano espiritual, no inconsciente da pessoa ou em vibrações sutis presentes no ambiente.

 

Mais

Anúncios

Cientistas provam que eles mesmos são pouco evoluídos. Mente Neutra serve para melhorar a memória.

 

Mente Neutra é a mente superior. Se prepare para expandir sua consciência.

 

 

Por Regis Mesquita

 

ATENÇÃO: use este texto para aprofundar seu conhecimento sobre a Mente Neutra.

 

Por necessidade profissional leio dezenas de pesquisas científicas. É muito comum cientistas chegarem a conclusões baseadas em suas mentes reativas e pouco evoluídas. Este texto mostra uma destas conclusões e explica porque ela é completamente falha.

 

A pesquisa em questão serviu de exemplo para a revista Superinteressante (300) explicar a memória do ser humano. Muita gente leu e acreditou, infelizmente.

 

A pesquisa está descrita na figura abaixo. Na segunda figura está a conclusão prática a que eles chegaram (leia as imagens).

 

 

Mais

%d blogueiros gostam disto: