Tudo o que não provém do espírito é sempre pequeno

 

Elimine suas preocupações cotidianas para que o espírito se manifeste.

 

 
Por Regis Mesquita

 

A imaturidade e a falta de sabedoria são duas grandes causas de sofrimentos.

 

Se falta sabedoria, a mente cria sofrimentos aonde poderia haver paz, alegria e satisfação.

 

Por exemplo: um adolescente pode se trancar no quarto e sofrer durante horas ou dias por causa de uma espinha no rosto. Décadas depois ele dirá: “como fui bobo por sofrer por algo tão pequeno!”

 

O que mudou? O problema passou, a pessoa amadureceu e percebeu que criou muito sofrimento para si mesmo.

 

Esta é a vida do ser humano. À medida que desenvolve sabedoria, ele descobre que criou e continua a criar sofrimentos para si mesmo.

 

A imaturidade transforma o ser humano em um masoquista que fica fazendo discurso sobre qualidade de vida e prazer.

 

 

Clique Aqui 

Mais

O que é ser humilde? Saiba como a humildade vai te ajudar a ter uma vida melhor

 

Os tolos sabem, os sábios sempre aprendem.

 

 

A Bíblia traz alguns trechos muito interessantes para quem quer entender o que é ser humilde. Cito dois:
“…a si mesmo se humilhou” (Fl 2.8).
“…agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro em meu coração está a tua lei” (Sl 40.8).

 

Vamos entender estes trechos sob a ótica da espiritualidade e não da ideologia que transforma pessoas pobres em humildes.

Mais

Mutualismo e humildade: 100 trilhões de bactérias vivendo no nosso corpo

 

Colaboração é a base da vida. Saiba porque.

 

 
Por Regis Mesquita

 

O jornal norte-americano The New York Times publicou a seguinte notícia:

 

“Durante anos as bactérias foram vistas como vilãs e tidas como responsáveis por infecções e doenças. Ou seja, algo que se deveria evitar a todo custo.

 

Mas agora, sob o olhar mais detalhado de pesquisadores, bactérias ganharam um papel de destaque que vai muito além da saúde e da doença. Os 100 trilhões de bactérias benignas que habitam o corpo humano desempenham um papel vital na vida das pessoas.

 

Mais

Para a consciência seguir a lógica do espírito é preciso treinamento

 

Teu progresso espiritual te trará bem estar

 

 

Por Regis Mesquita

 

O ego tem uma lógica, o espírito tem outra. A maior parte das pessoas tem dificuldade de entender a lógica do espírito porque usa a lógica do ego nesta avaliação, o que é inadequado.

 

Frases de Jesus, como dar a outra face caso seja vítima de violência (veja aqui), parecem coisa de masoquista, se forem avaliadas pela lógica do ego. Mas, a lógica do espírito sabe que é de grande sabedoria e somente os que se fortalecerem conseguirão colocá-la em prática.

 

A diferença começa com o fato do ego sempre precisar se sentir no controle. Esta necessidade é tão forte, que costumeiramente (para ter a sensação de controle) o ego prefere se iludir, se enganar, criar falsas crenças.

 

Mais

Todo bem que tu plantares será retribuído em vosso interior

 

Você não controla tudo o que acontece com você, mas pode controlar sua reação ao que acontece.

 

 

Todo bem que tu plantares será retribuído em teu interior.

 

Não foque os resultados que são externos a ti.

 

Ninguém controla tudo o que acontece à sua volta.

 

Fuja da ilusão e encare a verdade.
Mais

Gerando boas vibrações para dinamizar a vida

 

 

Você possui grandes recursos no seu interior. Confie em você.

 

 

Por Regis Mesquita

 

Um dos preceitos mais importantes da Educação do Espírito é que todas as pessoas devem facilitar a comunicação entre o inconsciente e a consciência. Traduzindo: a consciência pode se “fechar” e não “escutar” nada além dela mesma ou pode se abrir e prestar atenção ao que chega até ela. A consciência deve ser expandida. Assim, ela torna-se mais aberta para perceber informações, vibrações e outros estímulos que tem sua origem no plano espiritual, no inconsciente da pessoa ou em vibrações sutis presente no ambiente. Mais

Corrigir erros, método certeiro para fortalecer a mente e ampliar a consciência

 

 

Ninguém aprende errando, aprende ao corrigir os erros

 

 
Ao longo de cada dia decidimos centenas de vezes. Na imensa maioria das vezes são pequenas decisões. É através destas pequenas decisões que reforçamos os modelos mentais que organizam a sequência que os pensamentos aparecem em nossa mente.

Exemplo: o homem quer entrar em um estacionamento, mas a entrada está obstruída por outro carro. Ele decide esperar no meio da rua e, com isto, paralisa o tráfego no local. Os outros carros começam a buzinar. A decisão do homem gera nele e nas pessoas uma série de reações emocionais, sensações e pensamentos. A decisão é um estímulo que desencadeia uma sequência de respostas. Com o tempo as respostas (pensamentos, sentimentos, sensações) vão se transformando em padrões (quase sempre se repetem) e criam um modelo de funcionamento mental.

Mais

Auto-sabotagem: Fernando Pessoa descreve como a auto-sabotagem dirige a vida da imensa maioria das pessoas

Regis Mesquita

Os poetas são fantásticos, conseguem tornar claro o que é confuso. Ao ler o poema “Em Linha Reta” de Fernando Pessoa as pessoas tem a oportunidade de pensar: eu estou fazendo isto comigo? Qual o preço que pago por esta escolha?

Poucos irão identificar como auto-sabotagem o que é descrito no poema. Mas, o preço que pagam por esta atitude é sabotar a própria qualidade de vida.

É difícil encontrar alguém que diz explicitamente: eu me auto-saboto. Uma das características da auto-sabotagem é fazer a pessoa acreditar que está levando vantagem ao agir contra si mesma.

Leia o poema “Em Linha Reta”, depois explico melhor:

“Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe – todos eles príncipes – na vida… Mais

Entradas Mais Antigas Anteriores

%d blogueiros gostam disto: