Sou um espírito e devo fazer boas escolhas para o espírito

 

 

Mentalização 7

“Eu sou um espírito, possuo um corpo provisório.

 

Com esta certeza, escolho o que é importante para meu espírito.

 

Meu compromisso é: não usarei de desculpas para me desviar da bondade e da verdade.

 

Irei me manter no Fluxo de Deus, mesmo que minha ilusão seja que irei perder algo.

 

Eu sei que é preciso fortalecer minha mente para me manter justo e junto ao Fluxo de Deus.

 

Não usarei mais de desculpas para justificar meus pensamentos e sentimentos negativos.

 

Me esforçarei para manter minha mente limpa.

 

Manterei firme nos objetivos maiores da vida do espírito, mesmo que esteja inseguro do resultado.

 

Confiarei no que Deus ensina, mesmo que venha a ilusão de que estarei em desvantagem.

 

Sou um espírito e devo fazer boas escolhas para o espírito.

 

 

Regis Mesquita

[Mentalização 7, do Blog Caminho Nobre]

 

 

Atenção: para encontrar outras mentalizações clique em mentalizações na parte “Categorias”, à direita e acima do blog.

 

 

 

Os dois motivos mais comuns que levam as pessoas a se desviarem para escolhas negativas são:

1 – não confiar plenamente nos ensinamentos e nas leis de Deus.

2 – usar de desculpas para justificar suas atitudes.

Quando uma pessoa justa encontra outra injusta, ela (a justa) deve ser forte, sábia e completa; porque cabe a ela saber se defender.

A pessoa  injusta poderá prejudicar a justa e a justa não irá prejudicar a injusta. Pode parecer, no primeiro momento, que a injusta leva vantagem. Por isto, cabe à pessoa justa se defender e vencer o desafio de ser cada vez melhor e mais evoluído para enfrentar tudo de negativo que chegar até ela.

É assim, vencendo desafios, que o espírito evolui e se fortalece.

Todavia, se a pessoa justa não tiver plena confiança nos ensinamentos de Deus, facilmente ela se tornará igual à injusta. Ninguém quer perder ou sofrer. Ninguém quer conviver com a ideia de que são sempre os injustos que vencem. Se a pessoa justa mantiver esta ilusão, ela se transformará em injusta para competir de igual para igual. Ao invés de evoluir, ela aumentará os seus erros e sairá de um bom caminho.

O caminho correto de quem quer evoluir é confiar nos ensinamentos de Deus que diz: quanto mais evoluído mais sábio, quanto mais sábio mais preparado para lidar com as dificuldades da vida.

O desafio é encarar os defeitos pessoais e procurar melhorar, sempre.

 

 

Algumas pessoas usam desculpas para se iludirem. Elas tomam decisões erradas e se escondem em pensamentos equivocados.

Uma mulher justificava o não pagamento do INSS de sua empregada assim: “as empregadas são umas ingratas”.

Ou seja, a desculpa serve para que ela não se sinta culpada por fazer algo negativo. A culpa seria o único indicador que poderia fazê-la refletir sobre sua ação e retomar a atitude justa.

A desculpa torna tudo confuso e sem parâmetros. É como uma névoa que não permite enxergar facilmente a realidade.

Nesta névoa as pessoas se perdem porque valores são invertidos, sinais são mudados e mentiras florescem por não serem confrontadas.

Desculpas são muito usadas. Frente a cada dificuldade ( a cada medo, insegurança, impotência, dúvida, a cada desgosto ou frustração) toneladas de desculpas estão a disposição para ajudar a pessoa a não encarar o básico: ela é a responsável pela sua vida e pela sua evolução.

Ela deve escolher seguir se balizando por pensamentos e sentimentos nobres, buscando evoluir a cada instante. Deve ter esta escolha mesmo que muitas vezes sinta-se em dúvida: será que é realmente melhor seguir o caminho que Deus preconiza? Neste momento a pessoa pensa: Deus sabe mais do que eu, foi Deus quem organizou as Leis que regem a vida, Deus é mais experiente – devo seguir seu caminho e à medida que for evoluindo a sabedoria me mostrará que este é o melhor caminho – o mais fácil e mais eficiente.

 

 

 

Ajude o Blog Caminho Nobre recomendando esta postagem no G+, curtindo no Facebook, retuitando ou mandando o link deste texto por email.

 

 

Imagem:

 

O avestruz sente-se em perigo e esconde a cabeça no buraco. Num primeiro momento ele sente o medo diminuir. A ilusão faz com que ele sinta-se seguro. Mas, como é uma autoenganação, o caçador aproxima, mira a espingarda e atira no alvo imóvel.

O avestruz não enfrentou a realidade, por isto não teve oportunidade de desenvolver alguma habilidade ou ganhar experiências/conhecimento. Se tivesse ficado vivo, o resultado da sua atitude seria apenas adiar o momento da sua morte por um predador ou um caçador.

As ilusões dificultam o aprendizado. Quem não aprende fica estagnado e repete o erro. Quem não percebe a realidade está sempre envolto pela névoa da ilusão e da autoenganação.

 

 nasceu guerreiro1

 Nascer Várias Vezes

 

 

Reflita:

 

Existe o mito de que as pessoas aprendem através dos erros.

Não é verdade! Se a pessoa aprender, será ao corrigir seus erros.

O momento do erro deve ser o momento em que se aceita a própria ignorância.

Existe algo que não sabemos, não entendemos ou não temos habilidade.

A pessoa pode acreditar que sabe o que gerou o problema. Mas, na verdade, o erro é o aviso de que existem pontos cegos que a mente da pessoa desconhece.

Portanto, acreditar que sabe porque errou é uma ilusão a ser evitada.

O erro é o momento de parada, reflexão, observação, aprendizado e comunicação.

É a hora de escutar outras pessoas (amigos, consultores, concorrentes, clientes, leitura, etc.) e receber as informações processadas por outras mentes.

Depois de filtradas e analisadas, estas informações podem ser úteis para o INÍCIO do aprendizado que trará a mudança.

 

O momento de corrigir erros é o momento de descobertas. É o momento de ter a coragem de ser mais do que era. É a hora de dar um passo rumo ao desconhecido e descobrir novas luzes que iluminarão novos conhecimentos.

 

O primeiro passo é aceitar a própria ignorância. “O erro é o espaço da minha ignorância e fui eu quem construiu este espaço – ele demonstra um limite no meu conhecimento e nas minhas atitudes”.

 

O segundo passo é a coragem: sozinho terei mais dificuldade em mudar, pois entrarei em “território” desconhecido.

 

A vida em sociedade serve para que os humildes tenham várias opções para desenvolverem  mais do que desenvolveriam se estivessem sozinhos.

 

Regis Mesquita

 

Dica de leitura: A humildade e o conhecimento progressivo da vida

 

 

O texto acima foi escrito originalmente para a página Nascer Várias Vezes do Facebook:  https://www.facebook.com/nascervariasvezes

 

 

 

Campanha:

 

Siga o Blog Caminho Nobre por email.

 

Na coluna da direita, você encontra um lugar para digitar seu email. Após enviar seu email, você receberá um email de confirmação com link para você clicar e confirmar sua inscrição. Após esta confirmação você receberá todos os textos que forem incluídos no Blog Caminho Nobre.

 

 

 

Para acompanhar as atualizações do Blog Caminho Nobre no Facebook:

http://www.facebook.com/FilosofiaDoBomHumor

 

No twitter: @tvidaspassadas

 

 

Leia também:

 

Não julgue: uma regra para educar o espírito

 

Mitos da vida moderna: eu me acomodei, isto não é bom

 

Como lidar com uma filha insegura?

 

O egoísmo é necessário para sua evolução espiritual

 

Auto-sabotagem: Fernando Pessoa descreve como a auto-sabotagem dirige a vida da imensa maioria das pessoas

 

Pais, ensinem seus filhos a cultivarem a gratidão

 

Cientistas provam que eles mesmos são pouco evoluídos. Mente clara serve para melhorar a memória.

 

 

Compartilhe as imagens deste texto com seus amigos.

Compartilhe também dezenas de outras belas imagens com textos, clique aqui

 

 

 

PS: agradeço às pessoas que acompanham o blog Caminho Nobre, seja recebendo as mensagens via email, sendo seguidoras ou visitando-o de vez em quando. De “boca em boca” os números estão aumentando. Sua participação na divulgação do blog é fundamental. Obrigado!

 

 

favoritos

 

 

%d blogueiros gostam disto: