Para a consciência seguir a lógica do espírito é preciso treinamento

 

Teu progresso espiritual te trará bem estar

 

 

Por Regis Mesquita

 

O ego tem uma lógica, o espírito tem outra. A maior parte das pessoas tem dificuldade de entender a lógica do espírito porque usa a lógica do ego nesta avaliação, o que é inadequado.

 

Frases de Jesus, como dar a outra face caso seja vítima de violência (veja aqui), parecem coisa de masoquista, se forem avaliadas pela lógica do ego. Mas, a lógica do espírito sabe que é de grande sabedoria e somente os que se fortalecerem conseguirão colocá-la em prática.

 

A diferença começa com o fato do ego sempre precisar se sentir no controle. Esta necessidade é tão forte, que costumeiramente (para ter a sensação de controle) o ego prefere se iludir, se enganar, criar falsas crenças.

 

No Peru, os Incas faziam sacrifícios no solstício de inverno para alegrar os deuses e eles trazerem o Sol de volta para a Terra. O ritual era “tão poderoso” que todos os anos o Sol “voltava” e novamente acontecia o verão. Traduzindo: eles “sabiam” como não deixar o Sol ir embora. Esse delírio mostra a sede de controle do ego, que se traduz em trabalho inútil, regras desnecessárias e estruturas de poder injustas.

 

Outro exemplo: uma pessoa explica o que é sincronicidade (são eventos que acontecem ao mesmo tempo e que possuem uma relação acausal entre si). Traduzindo: se não existe causa, não existe controle, não existe modo de produzir espontaneamente estes eventos.

 

Quem escuta a explicação sempre pergunta: “como posso criar a sincronicidade”? O ego possui muita dificuldade em lidar com estes eventos acausais, pois sempre procura o controle e quer repeti-los quando quiser.  A lógica do ego é a repetição e o controle. (Repetição: experimentei chocolate e gostei, quero de novo.) Como é impossível criar algo que é acausal, o ego sente-se frustrado em seu desejo e inventa ilusões para se sentir no controle.

 

A mente é muito maior do que o ego. Ele é uma parte pequena e muito importante da mente, mas não a única. O equilíbrio acontece quando outras partes da mente (e do espírito) ganham maior influência sobre a consciência. Sem este equilíbrio, a percepção e o entendimento da realidade fica deturpada. O ego busca o controle, e ao buscar o controle impossível, ele cria simulações mentais, gera ilusões e produz confusões.

 

A lógica do espírito é outra. O espírito sabe que está envolvido em um universo que funciona e produz acontecimentos que não lhe cabe tentar controlar. O importante é ter a mente focada no presente, para prestar atenção no movimento da realidade que gera o novo. O movimento da natureza cria realidades independentemente das pessoas ou coisas. O simbolismo mais claro é o coração que não pede autorização para consciência cada vez que bate. O coração funciona, mesmo que o indivíduo durma. Assim também é a vida, a natureza funciona e se interrelaciona independentemente das pessoas.

 

O Todo é muito grande e o ser humano é uma parte pequena. Cabe ao ser humano a postura de aceitação, para que sua consciência fique livre para viver plenamente o momento presente. Esta é a forma mais sábia para extrair os aprendizados e as vivências mais nobres.

 

A postura mais adequada para perceber os eventos da realidade é a percepção focada no presente, sem crenças e desejos que produzam ilusões e simulações mentais. A mente neste estado é receptiva; ela se “solta” e se “conecta” com o Fluxo. Neste estado de conexão ela vivencia os eventos da vida sem o ego gerar confusão mental. As ilusões, desejos e simulações mentais que o ego produz perturbam a vivência da realidade e do presente.

 

Voltemos ao exemplo do Peru. Se houvesse uma catástrofe e os sacrifícios não fossem feitos, as pessoas veriam que o Sol “retornaria” do mesmo jeito. Elas veriam a realidade, descobririam que não possuem poder nenhum e que suas crenças os impediam de saber a verdade. O ego cria confusão mental e as pessoas acreditam nesta confusão, este é um dos grandes problemas do ser humano. [Observe: o ego distancia progressivamente a vivência humana para longe da realidade. Neste caso, por exemplo, os sacerdotes ganhavam poder porque conseguiam “fazer o que Deus queria”. Com este poder eles criavam regras, leis, direitos, mordomias, destruíam pessoas, etc. A vida se moldava mais à este “poder” e menos à realidade.]

 

O outro grave problema é que o ser humano as vezes reconhece esta confusão no outro, mas raramente reconhece em si mesmo.

 

A verdade é a melhor forma de ser delicado

 

Aceitação: tempo para aprender com as situações da vida

 

Ninguém controla tudo o que acontece na própria vida

 

O Ego precisa de certezas

 

Todas as vezes que as pessoas buscam o controle, elas se afastam do Fluxo e ficam presas a eventos de menor importância e em fantasias (limitam-se aos recursos do ego). Ou seja, abrem mão da vivência baseada na lógica do espírito para se satisfazerem com o pouco que o ego consegue produzir. (Exemplo de Fluxo: os Incas poderiam abrir mão do “seu poder” e observar o movimento do sol e da Terra. Buscariam aceitar e se adaptar à realidade, ao invés de tentar “criar uma realidade”.)

 

Observe este exemplo: um grupo de evangélicos passava a noite orando em um monte. Eram 15 pessoas, 12 já haviam “falado em línguas”. As três que não falaram sentiam-se menos que as outras. Elas queriam se sentir abençoadas por falar línguas. O ego delas precisava urgentemente ser “elevado em sua vaidade”. O que o ego faz quando existe vaidade e orgulho dominando-o? Ele cria uma ilusão. Foi assim que todos conseguiram “enrolar a língua” (supostamente falar em línguas). Todos ficaram felizes e orgulhosos de si, por se sentirem abençoados.

 

Muito diferente do que acontecia na época do apóstolo Paulo. Ele viajava pregando para diferentes populações, com vários dialetos diferentes. Era comum pregar ao mesmo tempo para pessoas que falavam diferentes dialetos. Através da manifestação paranormal (segundo a Bíblia), o apóstolo conseguia se comunicar, mesmo sem saber a língua. Eram eventos raros e que aconteciam sem o controle do ego do apóstolo. Mas, o outro entendia. O apóstolo conseguia que o outro entendesse sua mensagem. Imagina você pregando numa área dos EUA que tem somaliano, russo e chinês juntos. Por inspiração divina/paranormal/incorporação você começa a pregar em russo. Os russos entendem, respondem. Não é um enrolar a língua (que ninguém entende) para satisfazer o ego, e sim uma perda do controle para produzir algo melhor e mais importante. Vai além do ego, é a ação do espírito.  Repito aqui que estes eventos são raros, por isto atraem tantos charlatões e tantas pessoas que precisam se sentir especiais. No caso do grupo evangélico, um evento raro se transformou em um evento comum e de todos. É o ego criando mentiras e enganações, o que ele faz grande parte do tempo.

 

As manifestações do Fluxo acontecem sem o controle da pessoa, pois ela é testemunha/observadora minúscula de um evento da natureza. Estas manifestações são diversas, diferentes e únicas. O ser humano é testemunha do que o Fluxo quer mostrar. Ele é partícipe do Fluxo quando caminha a seu favor, nesta hora pode potencializar sua vivência. Ou seja, ele pode e deve agir segundo seus interesses e projetos. Mas, sempre a favor do Fluxo, sem deixar o ego dominar sua mente, para que atue com mais sabedoria e sensatez.

 

O ego reduz os limites da consciência, o espírito expande estes limites. O espírito pode sintonizar-se com o Fluxo e ir além dele mesmo. Neste contexto, a evolução ganha outro significado e outra grandeza. Todavia, para conseguir seguir a lógica do espírito é necessário treinamento.

 

Sem treinamento a pessoa é facilmente iludida. Durante décadas você foi treinado para seguir o ego; você está acostumado a agir assim. A mudança (para seguir o espírito e o Fluxo) exige persistência, observação e a metodologia adequada.

 

Foi pensando em ajudar neste treinamento que escrevi o livro “A Espiritualidade no Dia a Dia”. Nele estão várias orientações detalhadas de como perceber, valorizar e identificar as oportunidades que estão no Fluxo. Recomendo sua leitura para todos os leitores do Blog Caminho Nobre.

Clique Aqui, para acessá-lo.

 

Regis Mesquita

https://twitter.com/SaberEspirita

 

 

ACOMPANHE A PÁGINA DO BLOG CAMINHO NOBRE NO FACEBOOK

Facebook: https://www.facebook.com/ocaminhonobre/

 

Carl G Jung. O inconsciente irá dirigir sua vida e você vai chamá-lo de destino.

 

 
Leia Também:

 

O que já sou é o bastante para ter uma vida muito melhor

Consequências e vantagens da mente clara

Família é o campo de provas da evolução do espírito

Pessoas que sofrem por causa da mente reativa

 

 

DIREITOS AUTORAIS

Os textos do Blog Caminho Nobre, escritos pelo seu autor Regis Mesquita, estão registrados junto ao Escritório de Direitos Autorais da Fundação Biblioteca Nacional.

 

Mateus 6 versículo 34 Basta a cada dia o seu mal

 

 

Anúncios que porventura apareçam neste blog são de inteira responsabilidade do WordPress, que é o destinatário dos lucros com eles obtidos, e não têm absolutamente nenhuma relação com o conteúdo ou com o responsável pelo Blog Caminho Nobre.

 

A única venda que este blog indica são os livros de seu autor, Regis Mesquita. Todavia, entendo que o WordPress, que hospeda gratuitamente este blog, tem que ter seus próprios meios de sobrevivência.

 

Anúncios

3 Comentários (+adicionar seu?)

  1. regismesquita
    ago 19, 2012 @ 23:42:25

    Quem ocupa parte do seu tempo para ajudar ao próximo exercita a disciplina, a perseverança, a boa vontade, a resiliência, além de motivar-se e melhorar sua auto-estima. O resultado é o aumento de produtividade, ou seja, a capacidade de fazer mais e ter mais energia. Quem, portanto, não ajuda ao próximo acaba desperdiçando seu tempo, diminuindo sua energia e se privando do exercício de várias habilidades. Deus projetou a vida humana com sabedoria e sensatez.

    Escrevi este texto hoje na página Nascer Várias Vezes do facebook. http://www.facebook.com/nascervariasvezes

    Espero que sirva de inspiração para muitas pessoas.

    Regis Mesquita

    Responder

  2. Enesio
    nov 07, 2012 @ 17:09:37

    Li seu artigo “Para a consciência seguir a lógica do espírito é preciso treinamento”
    e descobri que nada sei, nada compreendo, nada entendo…. porque a mente sem o espirito não é nada, não pensa nada, não tem individualidade.
    Preferia antes, analizar este texto à luz da APOMETRIA que não simita a mente já que o espírito não é limitável e este é que comanda aquela.(a consciencia)
    Os vários niveis de cosnciênica do espírito, efetivamente tem individualidades, essses níveis pensam e agem individulamente, as vezes sincronizados ás vezes não sincronizados. neste útimo caso evidenciam conflitos.
    ID, EGO E SUPEREGO, são conseitos Froudeanos, para mim incompletos, porque se restringem à personalidade individualizada da mente, exclusive as potencialidades do espírito.

    Responder

  3. Trackback: Simplicidade e humildade geram o bom senso | Caminho Nobre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: