Autossabotagem: Fernando Pessoa descreve como a autossabotagem dirige a vida da imensa maioria das pessoas

 

 

 

Por Regis Mesquita

 

Os poetas são fantásticos, conseguem tornar claro o que antes era confuso.

Ao lerem o poema “Em Linha Reta” de Fernando Pessoa as pessoas têm a oportunidade de pensar:

a) Eu estou fazendo isto comigo?

b) Qual o preço que pago por esta escolha?

 

Poucos identificarão como autossabotagem o que é descrito no poema.

Mas, o preço que pagam por esta atitude é sabotar a própria qualidade de vida.

 

É difícil encontrar alguém que diz explicitamente: eu me saboto.

Uma das características da autossabotagem é fazer a pessoa ACREDITAR (mesmo que momentaneamente) que está levando vantagem ao agir contra si mesma.

 

Leia o poema “Em Linha Reta”, depois explico melhor:

 

“Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

 

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

 

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe – todos eles príncipes – na vida…

Mais

Ninguém controla tudo o que acontece na própria vida

 

 

O antigo está passando e o novo está se aproximando. Frases motivacionais.

 

 

Na Antártida, as mamães pinguim estavam se esforçando para proteger os novos seres que cresciam dentro dos ovos. Este esforço dava sentido às suas vidas, pois nada satisfaz mais os seres vivos que seguir seus “instintos” (as leis que organizam a natureza).

 

Observando-as estavam os maiores predadores, seres humanos. Com máquinas de filmagem poderosas seguiam cada passo das famílias que procriavam. Aqueles intrusos aumentavam o stress e realçava o risco de gerar uma nova vida. Seguir as leis da natureza exige coragem e entrega, e todas as famílias se mantinham focadas nos seus objetivos.

 

Os filhotes nasceram, foram alimentados; muitos sobreviveram, muitos morreram. Quem sobreviveu foi obrigado a começar a cuidar de si. Os jovens pinguins se dirigiram rumo à baia na qual pela primeira vez nadariam no mar.

 

Mais

O menino que não sabe ser feliz (desejos criando sofrimentos)

 

 

Quando o ser humano aproveita seu potencial ele precisa de pouco.

 

 

A importância de ficar satisfeito mesmo quando fazemos o que não gostamos

 

Semana após semana, uma criança é levada para tomar passe em um centro espírita da cidade de Campinas.

Ele não gosta de ir lá.

Ele chora, berra, reclama, diz que quer ir embora, fica infeliz, impaciente, insatisfeito, nervoso, raivoso, agitado, agressivo…

É um espetáculo!

 

Mais

O lugar das perdas em uma vida boa

 

 

Torne-se forte. Não espere piedade de quem cultiva erros e maldades

 

 

Não se autodestrua e nem se boicote por causa das perdas e das decepções

 

Olha que interessante este email (obs: o texto foi simplificado):

 

“Emprestei trezentos reais para um amigo. Quis ser generoso e camarada com ele.

Quase deu certo! Só faltou ele me pagar.

Depois que recebeu o dinheiro, ele mudou comigo.

Se distanciou e aproveitou do menor problema para brigar comigo.

Desta forma, arranjou uma desculpa para não me pagar.

A amizade acabou e eu fiquei sem meu dinheiro.

 

Mais

O cego que enxergava

 

gratidão: um coração grato tem mais alegria e força para viver bem a vida.

 

 

João tinha 19 anos e uma ótima família que lhe proporcionava amor, estudos, alimentação adequada, orientação, boa moradia. Enfim, João tinha tudo para ter uma vida feliz e alegre. Todavia, era insatisfeito e considerava a vida sem sentido e sem justiça.

 

Antônio tinha 32 anos e uma ótima família. A vida de Antônio era muito parecida com a vida do João, à exceção da cegueira e da felicidade.
 

Mais

O Ego precisa de certezas

 

Se você aprender a lição as dores doerão menos

 

 
Conta a estória que um marido foi traído pela mulher. Ficou alucinado porque ela não contava quem foi o homem com quem ela o traiu. Depois de meses procurando e ameaçando sua ex-mulher, ele ficou sabendo da verdade: o homem era um colega de trabalho dela. Depois do susto inicial e ele conseguiu um pouco de paz para seguir sua vida.

 

O ego é assim: ele precisa saber, precisa ter certezas.

 

Mais

Próxima Entradas mais recentes

%d blogueiros gostam disto: