O menino que não sabe ser feliz (desejos criando sofrimentos)

 

 

Quando o ser humano aproveita seu potencial ele precisa de pouco.

 

 
Semana após semana, uma criança é levada para tomar passe em um centro espírita de Campinas. Ele não gosta de ir lá; ele chora, berra, reclama, diz que quer ir embora, fica infeliz, impaciente, insatisfeito, nervoso, raivoso, agitado, agressivo… É um espetáculo!

 

Vamos estudar o caso: a criança não gosta de tomar passe. Os seus pais, por sua vez, acham que é fundamental para seu desenvolvimento espiritual. Ela teria mais satisfação se confiasse nas escolhas dos seus pais. Apesar de não gostar, é muito melhor esperar algum tempo e receber o passe, satisfeito. Porém, não é esta a escolha do filho.

 

Observe bem: podemos ficar satisfeitos, mesmo quando fazemos algo que não gostamos.


 

O segredo da satisfação é a aceitação, a gratidão e a boa vontade. Com estes recursos podemos ficar satisfeitos sempre, inclusive quando fazemos algo que não gostamos.

 

Grande parte da vida não é escolha, é oportunidade de usufruto. Todas as crianças que vão tomar passe estão ali porque os pais as levaram. Não são escolhas pessoais. Elas, porém, aceitam a oportunidade. Ou seja, o desejo de estar em outro lugar não é o principal.

 

 

Aprenda a tolerar um pouco de sofrimento para fortalecer sua mente

 

Pais, ensinem seus filhos a cultivarem a gratidão

 

Aceitação: tempo para aprender com as situações da vida

 

Os desejos tornam sua vida pior e mais complicada. Pare de se destruir e tenha uma vida melhor. Os males da autodestruição.

 

 

O desejo é o oposto do usufruto. O desejo é sempre um não estar no presente. O real é descartado ou desqualificado. O real é: estou aqui no centro espírita para tomar passe, para conversar com meus pais, para desenhar, para abraçar, para compartilhar, aprender, receber algo bom, etc. Nada disso é aproveitado. Uma vida cheia de desejos é uma vida de desperdício. Desperdício do que é bom e real.

 

A criança grita: “não quero, não quero”. Ela quer o que não existe naquele momento. O desejo é assim, reduz as possibilidades humanas. Explico: a pessoa pode ser feliz comendo pizza, macarrão, comida japonesa, churrasco, etc. Porém, se ela ficar fixada no desejo de comer peixe, todas as outras possibilidades não lhe satisfarão. Esta redução das possibilidades e potencialidades humanas torna a vida pior e a pessoa insatisfeita.

 

Aliás, uma das boas funções do desejo, desde que usado de forma sutil e não frequente, é esta: ele ajuda a direcionar a vida das pessoas. Exemplo: o sujeito está com muita vontade de comer peixe. Ele se organiza para comprar e fazer peixe no seu almoço. O desejo deu uma direção para sua vida. Todavia, se não for possível comê-lo, ele deve aceitar a realidade: “não vou comer peixe, mas ficarei feliz em comer outras opções de alimentos”.

 

Aceitar, ter gratidão e boa vontade: parece simples, mas depende de treino.

 

O problema: a maior parte das pessoas se treina para serem máquinas de desejar. Sempre desejam algo, sempre querem agregar algo ao real. Sim, o desejo é uma agregação. Na imensa maioria das vezes é uma complicação da vida. Se a pessoa tem que fazer 10 coisas, com os desejos passa a ter que fazer 11, 12, 13, 14… (o sujeito do exemplo teve mais um compromisso extra: gastou tempo e dinheiro para comprar peixe).

 

O foco do ser humano não deve ser os desejos. Temos que treinar: devemos frustrar nossos desejos. Esta é a principal forma de viver o que é real e aprender a usufruir o que já existe. Chamamos isto de privação voluntária; não precisa ser radical, mas se privar o bastante para não ser dirigido pelos desejos.

 

Na minha cidade natal as pessoas se perguntavam: “porque a manga do vizinho é sempre melhor”? Era uma época em que as pessoas tinham árvores frutíferas no quintal. O desejo os treinava cotidianamente a desprezar o que tinham e VALORIZAR O QUE NÃO TINHAM. Um horror! Um vizinho “sonhava” com as mangas do outro vizinho, os dois desejando o que não tinham e desprezando o que tinham. Péssima escolha, porque tiveram um péssimo treino mental.

 

O real é onde estão as potencialidades e oportunidades. Mas, o desejo diz: “quero mais, não quero isto, quero algo melhor, não sou bobo de querer só isto”. O desejo só é eficiente se desqualificar o que é real. A desqualificação começa com o afastamento do que é real. Pode ser através de fantasias, através de preguiça, perda de sentido, perda da motivação, etc. A criança do centro espírita transformou o que ela não gostava em algo insuportável. O dono do pé de manga tornou o que ele gostava em algo com menos satisfação – tenho manga, mas ela não é tão boa.

 

O desejo é uma ilusão, devemos ter muito cuidado com ilusões. Algumas pessoas dizem: “lutem pelos seus sonhos. Lutem pelos seus desejos”. Não há problema se este sonho/desejo apenas refletir uma meta ou objetivo de vida, ou seja, uma direção. O desejo nos ajuda a ter direção. Um dia temos que escolher se seremos advogados, engenheiros, agricultores, etc. O principal vetor desta decisão deve ser a vocação, mas o desejo é uma ajuda. Sendo pequeno e isolado, o desejo não conseguirá agregar trabalho, complicação e insatisfação na vida humana. Todavia, se os desejos vierem em sequência a mente ficará conturbada, o que certamente dificultará a percepção da própria vocação.

 

Resumindo: o desejo agrega trabalho para o ser humano. O desejo nunca está no presente, no que já existe e pode-se usufruir. Ele leva ao desprezo do que é real. Ao ser humano é prioritário intensificar a vida através da vivência do que existe no aqui e agora. É neste momento que estão as oportunidades e acontecem as experiências que  podem produzir o amadurecimento e a ampliação da consciência. Ao intensificar as vivências, a vida se expande e as pessoas podem conquistar muito mais objetivos do que se tivessem se apegado a desejos. O desejo é uma restrição da vida humana. O desejo, para existir, tem que produzir negatividades e desfocar as pessoas dos objetivos centrais da vida. Devemos treinar para aprender a viver sem sermos conduzidos pelos desejos, neste treino a privação voluntária ocupa um lugar importante.

 

A criança, coitada, cria sofrimento para ela e mantém este sofrimento sempre forte. Ela deseja o que não existe e não aceita o que existe. Assim, ela não aprende, não evolui e nem usufrui os benefícios que existem na situação. É por isto que se diz que a vida de quem deseja em sequência (um desejo após o outro) é repleto de desperdício.

 

Autor: Regis Mesquita

https://twitter.com/saberespirita

 

 

Dica de estudo: os textos do blog Caminho Nobre devem ser lidos pelo menos 3 vezes. Mais vale ler várias vezes um texto, do que ler rapidamente vários textos. O aprendizado e o entendimento acontecem à medida que você estuda e memoriza os ensinamentos. Depois, pratique-os com perseverança.

 

 

Leia Também:

 

 

Cinco motivos para você aprender a parar seus pensamentos

 

Estimulando a Felicidade

 

O lugar das perdas em uma vida boa

 

Sobre como os desejos produzem a maldade

 

Focar o presente e a simplicidade para amplificar a satisfação

 

Um ano sem comprar nada. Uma família aceitou este desafio. Veja o que aconteceu.

 

A vida simples de Chico Xavier é um exemplo a ser seguido por todos. Aprenda a viver melhor com o exemplo de humildade de Chico Xavier

 

 

Eu aproveito minhas qualidades, aproveito as oportunidades e me dedico a Viver.

 

Conheças as mentalizações do Blog Caminho Nobre

 

 

Para Refletir:

 

O ser humano encarnou para desenvolver as potencialidades do espírito.

 

Desejos atrapalham porque sobrecarregam a mente. Por serem constantes, quem se entrega aos desejos está sempre menos satisfeito.

 

Por outro lado, quem desenvolve as potencialidades pessoais está mais próximo da satisfação e da paz.

 

Aproveitar o presente, produzindo o justo, bom e eficiente é o caminho para desenvolver suas potencialidades.

 

Neste sentido os desejos devem ser poucos e direcionados para objetivos importantes na vida.

 

Os desejos focam o futuro, novas metas e novos objetivos. Podem ser valiosos, desde que não desviem a mente de aproveitar e gerar o novo a partir do usufruto do presente.

 

Quando o ser humano aproveita seu potencial ele precisa de pouco.

 

Quando o ser humano valoriza e usufrui o que está ao seu redor, ele cresce, aprende e atinge grandes objetivos.

 

Cuide das suas potencialidades com carinho, elas são o presente das suas outras encarnações para gerar um belo futuro – desde que elas sejam usufruídas no presente.

 

Regis Mesquita

http://www.nascervariasvezes.com/

 

Texto originalmente postado na página do Facebook – Nascer Várias Vezes – https://www.facebook.com/nascervariasvezes/

 

 

Uma vida equilibrada exige o autocontrole. O treino do autocontrole é a autoprivação.

 

Centenas de imagens como estas deste texto para você compartilhar.

Clique aqui.

 

 
Os textos do blog Caminho Nobre, escritos pelo seu autor, não podem ser adaptados ou alterados em qualquer forma. Você pode copiar, imprimir e distribuir gratuitamente os textos sem alterações, desde que sejam preservadas as fontes (nome do autor e link com o nome e endereço do blog colocados no início e no fim do texto do texto).

 

Não é permitido vender ou obter qualquer outro benefício financeiro usando os textos do Blog Caminho Nobre. O uso maciço dos textos do blog (mais de 2 textos) necessita da autorização escrita do autor.

 

9 Comentários (+adicionar seu?)

  1. gilberto
    out 10, 2011 @ 16:43:26

    eu quero é aprender como andar nesse cAMINHO O QUE DEVO FAZER???

    Responder

  2. regismesquita
    out 17, 2011 @ 20:15:57

    Amigo,

    a idéia deste blog é ajudar quem quiser educar para o espírito. Leia os textos, estude-os e busque praticar o que é divulgado.

    Se estiver praticando e tiver dúvidas mande sua pergunta.

    Abraço,

    Regis Mesquita

    Responder

  3. Junior
    nov 07, 2011 @ 07:50:47

    Sr Regis Mesquita.Que blog incrível!!!!Acho que sincronicidades são benções de Deus.Eu estava num conflito interior terrível em relação à desejos.Esse texto foi uma benção para mim.Obrigado.Vou seguir o blog e estudar os textos.E praticar o aprendizado.Descobri seu blog pelo link no site Somos Todos Um que é maravilhoso também.

    Responder

  4. Vera Lúcia scherer
    fev 28, 2012 @ 06:50:26

    Estou lendo seus artigos, e este,em especial, diz muito de mim. .Estou começando a gostar muito deste caminho para a auto aceitação, que passa sempre pela busca de da valorização do que já foi alcançado na vida , e o agradecimento ,que também é agente de renovação, de colocar em prática ação,que pode “limpar” a mente das preocupações, medos e ansiedades. .\um grande abraço!

    Responder

  5. Trackback: Usufruir a vida. O que, de verdade, significa isso? « Caminho Nobre
  6. Trackback: Estimulando a Felicidade | Caminho Nobre
  7. franca
    dez 18, 2013 @ 20:42:24

    adorei essa mensagem do desejo,pois estou passando por algo meio parecido, pois estou me relacionando com uma pessoa maravilhosa, e qd comecei achei que era um relacionamento impossivel ,mas olhando por esse lado do desejo sei que devo agradecer por td. que estamos vivendo juntos… maravilhas,vou curtir o presente como diz a mensagem sobre o desejo.abraços… estou adorando seguir seu blog.

    Responder

    • regismesquita
      dez 19, 2013 @ 16:58:58

      Amiga,

      esta é a ideia do Blog Caminho Nobre: oferecer ajuda prática que possa ser colocado em prática no cotidiano.

      O blog Caminho Nobre é sempre atualizado. Venha sempre visitá-lo.

      Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.681 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: