A quietude da mente gera paz e serenidade

 

 

Mantenha a mente sempre serena e calma.

 

 

Regis Mesquita

 

 
Cena:

Um homem de terno e gravata sobe a pé pela rua com o capacete da sua moto enfiado na cabeça. Uma pessoa comenta: “que ridículo!” Ela completa seu julgamento com comentários negativos sobre o homem.

O que aconteceu foi isto:

1º) O homem andando de capacete pela rua foi o estímulo que entrou na mente da pessoa.

2º) O estímulo poderia ter acabado, mas continuou. Ela associou o estímulo com os valores e crenças que existiam na sua mente.

3º) Ela agiu de modo condicionado: quem está acostumado a julgar sempre julgará. Portanto, ela se interessou em manter na sua consciência o julgamento. Por isto, comunicou-o em voz alta.

4º) Sua mente foi tomada por uma sequência de pensamentos. Todos eles aprendidos e copiados anteriormente na sua vida. Ela é uma repetidora.

5º) Sem perceber sua mente ficou tomada de sentimentos e pensamentos negativos.

A mesma cena na rua:

Enquanto o homem andava com o capacete na cabeça, uma pessoa o julgava. Ao seu lado estava uma amiga de boca fechada, que só se lembrava do homem porque sua colega não parava de falar. A amiga estava em paz e continuou em paz.

O que aconteceu foi isto:

1º) O estímulo visual do homem de capacete entrou na mente da amiga. E acabou. Só isso.

2º) Sua mente não produziu associações, por isto não houve julgamento.

3º) Ela manteve o foco da paz interior e cultivou a satisfação da quietude mental.

 

 

Você aprendeu a falar imitando os sons que escutava. O bebê e a criança dependem da imitação para trazer o “mundo” para dentro deles.

É um processo necessário, pois não haveria nem linguagem e nem cultura se cada um construísse sua própria rede de significância. Explico: quando você escreve a palavra computador todo brasileiro sabe o que é.  Se você escrever համակարգիչ, nenhum brasileiro saberá o que isto significa (computador em armênio). Ou seja, cada cultura possui um pacto que atribui importância, valor e significado para o que existe nela.

Ao se apropriar da cultura, o ser humano adquire condições de sobreviver na sua comunidade.

Além da imitação, o bebê e a criança devem expressar o que já possuem em seu interior. Eles nascem com muitos conteúdos e habilidades internas originadas na genética, no espírito e no histórico da vida intrauterina.

À medida que os anos passam, o ser humano deveria imitar menos e expressar mais o que existe no seu interior. Ele deveria aprender e amadurecer cada vez mais, gerando paz, equilíbrio e serenidade na mente. Esta é a sequência lógica da vida.

É por isto que a sabedoria é sempre acompanhada de mais silêncio. Os sábios aprendem a importância de aquietar a mente para manter a serenidade.

 

Não julgue: uma regra para educar o espírito

 

O esforço mínimo está em fazer bem feito

 

Sou o único responsável por minhas ações, atitudes e pensamentos

 

Ao expressar o que existe em seu interior a pessoa estará se conhecendo mais profundamente. Aumentam as chances de identificar os problemas e resolvê-los. Aumenta a probabilidade de aproveitar as qualidades e potenciais que o espírito trouxe para esta encarnação.

Muitos problemas e dificuldades podem ficar mascarados quando a pessoa dá excessivo peso aos estímulos externos. Suponha que a mulher crítica tenha inveja do homem. Ao ridicularizá-lo, ela disfarça os sentimentos de inveja que naturalmente brotam dela. Neste exemplo, ao invés de se ver como uma mulher invejosa, ela se vê como superior ao criticar o homem.

Observar o que brota naturalmente do nosso interior exige quietude porque na maioria das vezes esta comunicação é sutil.

 

 

O bebê aprende a ficar totalmente fixado nos estímulos externos. O que o bebê aprendeu torna-se um vício no adulto. Os pensamentos sequenciais (tagarelice mental) precisam de estímulo externo para se manterem ativos.

A tagarelice mental precisa de informações novas o tempo inteiro, melhor se forem informações negativas. Pode ser um acidente, uma desgraça, uma nova moda ou descoberta, um homem na rua, etc. Novidades, necessidades, desejos, tudo que sirva para motivar e imitar é importante. A mente ainda está maciçamente estimulada a buscar no meio externo os estímulos que lhe darão “vida” (por isto, não conseguem se livrar deles, como no caso da mulher julgadora).

Os conteúdos internos que ela trouxe consigo desde a concepção ficam com pouquíssima chance de emergirem nesta mente congestionada de estímulos externos e de pensamentos repetitivos.

É muito importante o exercício diário de desapego dos estímulos externos. Deixá-los chegar e “irem embora” é fundamental. O exemplo a ser seguido é o da amiga, que simplesmente se desacostumou de dar importância para uma grande parcela dos estímulos externos. Desta forma, ela manteve a paz e o bem estar.

É importante notar que o mais importante é não ter pensamentos. Ao terem pensamentos positivos as pessoas manterão o vício na resposta ao estímulo externo. Ao menor descuido os pensamentos positivos viram negativos. Além do que, a emersão dos conteúdos próprios da pessoa é muito estimulada com a ausência de pensamentos em uma mente quieta.

Conquiste a serenidade e clareza mental não mais permitindo que sua mente fique tagarelando.

 

 

 

Agradeço muito se você recomendar esta postagem no G+, curtir no Facebook, retuitar ou mandar o link deste texto por email.

 

 

 

Para acompanhar as atualizações do Blog Caminho Nobre no Facebook:

http://www.facebook.com/FilosofiaDoBomHumor 

 

 

No twitter: @tvidaspassadas

 

 

 

Para refletir:

 

Boa parte do rumo que o ser humano deve dar à sua vida está presente na sua mente, pois foi planejado e organizado no plano espiritual. Este planejamento aparece sob a forma de sensações, interesses, vocações, intuições, sentimentos e outros,  que brotam do “fundo da alma”. Não precisam ser estimulados, brotam “sem muito porque e nem motivo” (na realidade há o porquê e o motivo, mas a pessoa o ignora).

Observação: se você estimular estes conteúdos e estados mentais, eles ficam mais presentes e firmes.

 

https://caminhonobre.com.br/2013/04/24/estimulando-a-felicidade/

 

 

 

O espírito é sutil, pois a consciência não deve ser completamente controlada por ele. Um dos motivos pelos quais existe a encarnação é diminuir o controle do espírito sobre a consciência.

A influência do espírito ocorre no cotidiano e abrange cada aspecto de nossas decisões, sentimentos e pensamentos. Portanto, não espere nada grandioso. O espírito age “iluminando” decisões, gerando interesses e produzindo diversidade dentro da mente.

http://www.nascervariasvezes.com/2013/05/como-nosso-espirito-se-comunica-com.html

 

 

deixe contaminar

 

 
Somos os responsáveis por usar a mente para impedir que o negativo e o sofrimento se espalhem.

 

O ser humano é ação, é movimento. Sua maior responsabilidade é assumir a própria vida e (ao mesmo tempo) gerar nobreza e clareza em sua mente. A mente clara e a vida nobre atuam como um “abismo” onde as sequências pensamentos negativos perdem sua força e seu significado.  Enquanto algumas pessoas usam suas mentes para manter e ampliar o sofrimento e a negatividade, outras aprendem  a usar a própria mente para destruir e não dar sequencia a este negativo.

http://www.nascervariasvezes.com/2013/07/passe-espirita-reiki-imposicao-de-maos.html

 

 

 

Estude também:

 

Eu estava no paraíso e não sabia

 

 Um bom exemplo da diferença entre a mente reativa e a mente clara

 

Aceitar viver a vida intensamente

 

Esteja presente em suas ações e ganhe um presente da vida

 

Viva simples, mas viva Intensamente

 

O diálogo com a criança tem que se dirigir ao seu espírito

 

O lugar das perdas em uma vida boa

 

 

 

Campanha:

 

Siga o Blog Caminho Nobre por email.

 

Na coluna da direita, você encontra um lugar para digitar seu email. Após enviar seu email, você receberá um email de confirmação com link para você clicar e confirmar sua inscrição. Após esta confirmação você receberá todos os textos que forem incluídos no Blog Caminho Nobre.

 

 

Quem manda na sua vida deve ser você

 

 

 

Os anúncios que porventura apareçam neste blog são de inteira responsabilidade do WordPress, que é o destinatário dos lucros com eles obtidos, e não têm absolutamente nenhuma relação com o conteúdo ou com o responsável pelo Blog Caminho Nobre.

 

A única venda que este blog indica são os livros de seu autor, Regis Mesquita. Todavia, entendo que o WordPress, que hospeda gratuitamente este blog, tem que ter seus próprios meios de sobrevivência.

Anúncios

10 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Trackback: Se eu te respeito, por que você não vai me respeitar? | Caminho Nobre
  2. silverio marcos camilo
    ago 14, 2013 @ 17:42:14

    Adorei,que descoberta.

    Responder

    • regismesquita
      ago 15, 2013 @ 14:14:44

      Silverio, seja bem vindo. Estude os textos com atenção.
      Para receber os emails do blog Caminho Nobre preencha na coluna da direita onde diz: siga o blog por email.

      abraço cordial,

      Responder

  3. Filomena
    set 20, 2013 @ 17:26:12

    Interessante essa ideia da mente vazia, sem mesmo pensamentos positivos. E então o que pensar da ideia espirita que bons pensamentos atraem bons pensamentos ( lei da ação e reação) tornando-os mais fortes? Exemplo da prece, da visualização no bem, na paz, etc?

    Responder

    • regismesquita
      set 20, 2013 @ 19:09:08

      Filomena,

      é comum os sábios serem pessoas que falam menos. Possuem mente tranquila e em paz, que emana bons pensamentos. Ou seja, a calma mental produz menos pensamentos e os pensamentos produzidos são mais nobres.

      Assim sendo, a ausência de pensamentos não é absoluta. Ela é recheada dos pensamentos necessários para a vida em paz.

      Coloque o Blog Caminho Nobre em seus favoritos e venha sempre visitá-lo.

      Att,

      Regis Mesquita

      Responder

  4. Trackback: Desocupe sua mente e tenha paz | Caminho Nobre
  5. claudio
    out 04, 2013 @ 15:47:33

    Olá Regis, gostei muito de conhecer seu blog. Parabéns pela iniciativa. Já li e reli diversos textos e uma frase me deixou grande dúvida: “um dos motivos pelos quais existe a encarnação é DIMINUIR o controle DO ESPÍRITO SOBRE A CONSCIENCIA”. Fico na dúvida se não é o oposto.
    Obrigado

    Responder

    • regismesquita
      out 07, 2013 @ 17:19:16

      Claudio,

      são dois momentos distintos. A encarnação: a razão do esquecimento das encarnações passadas é impedir que o TOTAL do conteúdo do espírito (que tem milhares de anos e muitas “vidas”) venha junto. Só uma parte destas memórias ficam disponíveis para influenciar a formação do novo corpo e da mente.

      Outro momento é na vida em si: quanto mais evoluído, maior contato com o espírito. Jung chamou este fenômeno de eixo ego-self. Porque o espírito aqui é visto não só como individualidade, mas como parte do “espírito universal”.

      Ainda vou fazer um artigo sobre o tema.

      Para mais detalhes te indico os textos do meu livro Nascer Várias Vezes e os artigos do blog do livro: http://www.nascervariasvezes.com/

      Responder

  6. silverio marcos camilo
    out 06, 2013 @ 20:43:32

    Na quietude da mente,a paz se instala e as descobertas e respostas chegam.(Voa liberdade,voa;;;;;)

    Responder

  7. Francislene Landri de Oliveira
    mar 18, 2016 @ 01:50:15

    É muito bom ter conteúdos instrutivos como estes textos.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: